Profissionais debatem o futuro da engenharia

Profissionais debatem o futuro da engenharia

Por CREA-RN em 04/02/2019 às 03:54

Esta foi a pauta principal do I Encontro Norte-rio-grandense das Engenharias que teve como tema “A Engenharia do Futuro: do ensino à indústria 4.0”. O evento, realizado nesta quinta-feira (13) reuniu conselheiros, ex-presidentes do Crea-RN, representantes de instituições de ensino, membros de entidades ligadas ao Sistema Confea/Crea e Mútua, além de estudantes de diversas modalidades.

Em uma mesa redonda, o diretor do Centro de Tecnologia da UFRN, professor Luís Alessandro, e o engenheiro civil com MBA em engenharia do petróleo e gás, Marcos Rocha, discutiram as novidades na área educacional que envolvem os cursos de engenharia e à indústria 4.0.


Durante sua explanação, o professor Luís Alessandro falou sobre o projeto de reforma das diretrizes curriculares nacionais dos cursos de engenharia. “Uma reformulação é importante desde que os pontos sejam analisados de forma criteriosa, especialmente os cursos de Ensino à Distância (EaD) e a carga horária”, destacou.

O professor Luís Alessandro também alertou os presentes para mudanças no modo de se trabalhar com engenharia. “O AutoCad está sendo substituído pelo Revit que logo será trocado por outro software. Ou seja, o avanço da tecnologia é tão veloz que mal conseguimos aprender um e já temos que utilizar outro programa”, comentou.

Para enfrentar um mercado de trabalho moderno e cada vez mais competitivo, o professor Marcos Rocha ressaltou em sua apresentação a importância de o profissional se renovar constantemente. “A chave é estar aberto para aprender, sempre. A expectativa é de que tenhamos de três a cinco carreiras dentro de 20 a 30 anos de trabalho, devido à extinção de algumas profissões e surgimento de outras, mas o que importa é focar na autorrealização”, disse acrescentando que cerca de 65% das crianças que estão no ensino fundamental vão trabalhar em profissões que ainda não existem.

A presidente do Crea-RN, Ana Adalgisa Dias Paulino, agradeceu ao público presente no Encontro e afirmou que em 2019 outros eventos desse tipo serão realizados também no interior do estado. “Disseminar esse tipo de encontro pelo RN e debater o futuro da engenharia é ampliar conhecimento. Estamos plantando essa semente visitando as instituições de ensino e discutindo com os estudantes. Essas são algumas de nossas metas”, afirmou a presidente do Crea-RN.

O ex-presidente do Crea-RN, Ânjelo da Costa Neto, parabenizou a presidente Ana Adalgisa pela iniciativa de realizar o I Encontro Norte-rio-grandense das Engenharias. “O Crea-RN não pode ficar sozinho em discussões como essas, parcerias com as universidades são de extrema relevância e vejo que esse é o entendimento da atual gestão”, comentou o engenheiro.